Toulouse-Lautrec

Na minha última viagem à França me programei para passar ao menos um dia em Albi, pequena cidade no sudoeste do país, para visitar o Museu Toulouse-Lautrec, pintor pelo qual sou apaixonada!

A força de suas pinceladas, a expressividade que ele dá aos personagens retratados, e também a simplicidade das obras fazem parte da sua identidade e que eu também busco em meu trabalho (um longo caminho ainda a percorrer…). Qual foi minha surpresa que, chegando em Paris, estava acontecendo no Grand Palais, uma exposição enorme sobre o artista! Oba!! Duas oportunidades de me encantar!

The Jockey, 1899
The Jockey, 1899

Henri Marie Raymond de Toulouse-Lautrec Monfa (1864 – 1901), foi um pintor pós-impressionista e desenhista francês famoso por suas litografias e pôsteres dos salões de dança parisienses do final do século XIX.

Filho de uma família da aristocracia francesa, de cavaleiros e caçadores, foi incentivado para o mundo das artes desde a infância, com cavalos sendo temática constante em seus desenhos.

Muitas de suas obras iniciais foram feitas em um período de recuperação, após dois acidentes que comprometeram seu crescimento, devido a uma doença congênita que lhe conferia fraqueza óssea.

Aos 14 anos teve como tutor o artista René Princeteau, especialista em desenhos de cavalos e temas de caça.

Princeteau se encantou pelas fotografias de Muybridge, que desvendaram o galope equino, sendo fácil imaginar que seu pupilo também se interessasse pelo tema, aprendendo a capturar o movimento e a velocidade em seus traços.

Detalhe de Artilleur sellant sont Cheval, 1879
Detalhe de Artilleur sellant sont Cheval, 1879

Aos 18 anos se mudou para Paris, onde estudou com Léon Bonnat, pintor defensor das normas acadêmicas e que não gostava dos desenhos de Lautrec.

Alguns meses depois, foi para o estúdio de Fernand Cormon, que demonstrou maior apoio com seu estilo de pintura.

O estúdio ficava em Montmartre, que rapidamente se transformava em um bairro boêmio de Paris, repleto de entretenimento, paraíso dos artistas, onde Toulouse se viu em meio a um turbilhão de vida noturna e passou a captar o movimento dos can cans e retratar os personagens dos salões e cabarés.

Eu com Le Cheval Blanc - Gazelle, 1881
Eu com Le Cheval Blanc - Gazelle, 1881

Seu estilo transgredia as proporções anatômica e as leis da perspectiva em favor da expressividade.

Suas obras possuíam um tom de sátira, uma composição dinâmica, destacando a individualidade em meio ao grupo.

A vida boêmia não agradou seus pais mas foi o que colocou Toulouse-Lautrec como um dos pintores mais conhecidos de sua época, principalmente após fazer o cartaz publicitário para o mais famosos cabaré parisiense: Moulin-Rouge: La Goulue, fazendo-o famoso do dia para a noite, e o tornando o maior criador de cartazes de Paris.

Moulin-Rouge La Goulue
Moulin-Rouge La Goulue

Lautrec viveu sua vida intensamente, no ritmo de sua criatividade e desejo de liberdade. Porém a busca constante por prazer, trabalho extenuante, pouco sono, sífilis e o abuso do álcool prejudicaram muito sua saúde, levando-o a ser afastado de Paris aos 30 anos. Aos 34 anos fez sua última exposição, na filial londrina da galeria Goupil.

Au cirque Fernando, l`écuyère, 1888
Au cirque Fernando, l`écuyère, 1888