Os Primeiros Cavalos Retratados

A proposta deste post é mostrar a representação do cavalo na arte em vários momentos da História. Começaremos pela Pré-História, período anterior ao desenvolvimento da linguagem escrita (até 4.000 AC), e falaremos da arte rupestre. Vamos lá:

A principal suposição para o significado da arte rupestre é que ela buscava retratar o cotidiano ou os sonhos dos povos. Tratava-se de um registro do dia a dia de nossos antepassados que poderia, também, ter apelo espiritual.
Animais são mostrados com frequência e o cavalo, claro, não poderia estar ausente desses registros, veja:

As pinturas têm pouca variação de cores (por falta de disponibilidade de pigmentos) e expressam aquilo que o pintor vê. Nem sempre são realistas, apesar de a maior parte delas ser facilmente decifrável. Algumas se destacam pela qualidade artística e por se aproveitarem dos contornos das rochas para ganhar uma aparência tridimensional, sugerindo as primeiras ações do Homo Sapiens.
Também são encontrados no período pré-histórico os geoglifos — enormes desenhos feitos no chão, criando formas geométricas ou imagens pré-definidas. Aqui também encontramos um cavalo: a imagem de um animal branco, com 114 metros de comprimento, entalhado em uma colina calcária em Uffington, Oxfordshire, Inglaterra. Estudos sugerem que tem origem há 3 mil anos — na era do bronze, portanto — e, por ser vista com mais nitidez pelo alto, pode ter sido feita como uma tentativa de comunicação com a deusa céltica Epona, representada pela figura de uma cavalo.👇
Veja a sequência: